Por ser diferente, você respeita as diferenças?

Comentários

Theo disse…
Acho q tudo depende... E tenho minhas dúvidas q quem dá certeza d q aceita as difernças não está mentindo. Acaba q todos temos preconceitos - mesmo aqueles q sofrem preconceito...

Às vezes o diferente me atrai. Em outros casos, confesso, tenho um pouco de repulsa...

A diferença da foto, eu aceitava de boa... hehe
Paula disse…
Oi Theo!

Eu acho que esse é o primeiro passo, respeitar não é concordar, você continuar discordando, mas é fundamental termos a certeza de é direito de cada um ser da forma que achar melhor. O não concordar, para não usar o termo preconceito, eu acredito que seja inerente do ser humano, mas não precisamos ofender, machucar ou matar por conta disso. É aquela máxima, posso não concordar com você, mas brigo pelo seu direito de expressar suas opiniões.

Obrigada pela visita e pelo comentário.

PS: Gostou do cabelinho verde né? kkkkkk

Beijo =)
Rafael disse…
pentelhos verdes!
rsrs.

Viva as diferenças!
Paula disse…
Oi Rafael!

E viva as diferenças!

Beijo =)
RICARDO AGUIEIRAS disse…
qual é a resposta certa? Falar que eu aceito e respeito as diferenças? Sim, pode ser a resposta certa, mas não é verdadeira. O que vale mais: a verdade que acham que eu deveria negar ou a "resposta certa"?
Pois bem, há diferenças e diferenças: a sugerida pela foto é bem mais fácil de ser aceita, por que só compromete o visual de alguém.... mas será que eu aceitaria um neonazista? Será que eu aceitaria um evangélico fundamentalista? Será que eu aceitaria uma mãe machista e cruel que expulsa seu filho adolescente de casa só por que ele é gay? Então, tem um monte de diferenças que eu não aceito. mas sei que essa não é a resposta certa, a resposta contente, sorridente que todos e todas querem ler...
Paula disse…
Oi Ricardo!

Deixando de lado o politicamente correto. Penso assim, posso sim respeitar que pensem diferente, mas não vou aceitar o ato. Posso, embora seja difícil, entender que uma mãe não aceite o fato do filho ser gay, mas nunca aceitaria que o ato de expulsá-lo seja posto em prática. Você pode até pensar diferente, muito diferente, ter verdades complicadas, até aí é direito seu, mas por isso em prática é outra questão e não apenas ético ou moral. Passa por outro exercício, o de respeitar e aceitar. Claro que isso é utópico, afinal aceitar uma diferença não nos parece "natural", imagine conviver com ela.

Beijo =)
RICARDO AGUIEIRAS disse…
Paula,
você me provoca.... você sabe disso... espero que nunca leve pro lado pessoal as coisas que digo aqui, pois te amo, só estou "esquentando" o debate... enfim, talvez essa seja uma maneira errada minha de agir... um ex amigo meu - brigamos feio recentemente...- fazia em um clube uma série de debates para discutir homossexualidade, sexualidade, preconceitos e etc.- ele brigou comigo alegando que "eu gosto de encostar as pessoas contra a parede"...
Enfim, talvez eu não saiba mesmo outra maneira de agir senão essa...
Beijo do amigo
Paula disse…
Oi Ricardo!

Mas ele está certo, você gosta mesmo. Acho que as duas situações, muito bem dosadas são interessantes. Colacar contra a parede alguém que sabemos que com isso teremos um retorno, que será bom para os dois, é interessante. Mas colocar contra parede todos, a qualquer momento, mesmo sabendo que isso só vai assustá-lo, não é legal. Você só terá os passarinhos cantanto no seu quintal se souber cativá-los, se criar armadilhas o tempo todo, eles fugirão. Claro que existem aqueles casos que fugirão com o simples balançar de um galho de árvore. Agora telefone para seu amigo e faça as pazes.

Beijo =)
RICARDO AGUIEIRAS disse…
Só por que joguei minha filhinha da janela e matei meus pais? Cruzes, nem isso mais a gente tem direito...
Ricardo Nardoni Richthofen
Paula disse…
kkkkkk

E algum dia tivemos esse direito??? kkk

Não seja trágico... já ligou para seu amigo e fez as pazes?

Postagens mais visitadas