Pages

Hilda Hilst





E por que haverias de querer minha alma
Na tua cama?
Disse palavras líquidas, deleitosas, ásperas
Obscenas, porque era assim que gostávamos.
Mas não menti gozo prazer lascívia
Nem omiti que a alma está além, buscando
Aquele Outro. E te repito: por que haverias
De querer minha alma na tua cama?
Jubila-te da memória de coitos e de acertos.
Ou tenta-me de novo. Obriga-me.
 
 

2 Comments:

Runaway escreveu...

Mas é realmente ótimo os poemas da Hilda!

Paula escreveu...

Oi Runaway!

São textos corajosos e de certa forma "crus", pura provocação. É surpreendente acompanhar alguém que domina com maestria alguma face da arte. Hilda Hilst é uma delas.

Beijo =)

Related Posts with Thumbnails

Minha Lista de Blogs

Arquivo

Marcadores

Arte Homoerótica (46) Céu e Terra (68) Conceitos (359) Desabafo (82) Desejo (157) Gente (202) Lado Aninal (226) Nu e Cru (1226) Para você (206) Pop (160) Pré-História (26) Tecnologia (229) Verso e Prosa (279)