Aquele que Deus não criou

Comentários

Bárbaro!
Magnífico!
Tudo!
enfim, quer me matar?
Gostaria muito de saber de quem é o texto, brilhante e poético e acho também genial a forma como a direção encaixa o Adágio do Albinoni perfeitamente no tempo do filme, ou melhor, o filme é que é encaixado dentro do tempo da melodia.
Eu, nas minhas contradições, adoraria que a homossexualidade fosse ainda transgressiva como é mostrada no filme, transgressão fornece poder para questionamentos que a aceitação pura e simples não dá... sempre achei triste uma homossexualidade sem transgressão, vejo poema na marginalidade e esse filme mostra exatamente isso: a lama também reflete o luar.
Paula,
thanks!
Beijos,
Ricardo
Paula disse…
Oi Ricardo!

Acho que você disse tudo.

Beijo =)

Postagens mais visitadas